Água-morta

A água-viva, de tão amarga

Tenta imitar a água insípida,

Mas a fluidez é falsa.

E a transparência é falsa.

E ela nunca dominou todo oceano.

A água-viva não é água:

A água é que é viva,

A viva é morta.

E só de raiva de não ser água, ela queima.

E a água, que é vida, cura.

Mas a viva, que é morte, ainda tenta.
O mimetismo é livre.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s